Exemplo do João

Antes, gostaria de me apresentar e contar a história do João…

Meu nome é Daniél Fidélis, autor do blog Alquimia Operativa. Seja bem vindo(a)!

Ao invés de inventar modinhas holísticas ou teorias que em nada contribuem para o nosso progresso, ensinamos técnicas para serem aplicadas objetivamente em seu dia a dia. Ou seja, têm um caráter eminentemente prático e realmente transformam a nossa vida para melhor.

Seguindo essa linha de pensamento, gostaria de compartilhar a história do João.

Exemplo do João


João é dono de um pequeno estabelecimento comercial. Mas, nos últimos anos, vinha amargando uma queda significativa nas vendas.

Navegando pelo Facebook, visualizou uma postagem patrocinada convidando-o a baixar um ebook gratuito chamado Sua Prosperidade através de 10 Plantas Sagradas (alterei o nome do ebook a fim de preservar o autor).

João, acreditando ser aquilo um sinal divino, baixou o ebook. Tomou conhecimento das ervas que atraem riqueza. Comprou folhas de louro, canela e cravo. Preparou um banho com estas ervas, acendeu incenso de canela… Estava confiante.

Passaram-se meses… Nada mudou…

Existem ervas e incensos da prosperidade?


Hoje vivemos uma espécie de fast food da espiritualidade. A maioria das pessoas preferem o “botão mágico” ao invés do esforço e da disciplina.

Percebemos isso ao verificar a existência de artigos e vídeos viralizados com títulos semelhantes a estes: “ervas para atrair riqueza” ou “plantas poderosas para atrair prosperidade”.

Entenda: algumas ervas, de fato, possuem propriedades sutis que favorecem o afloramento de determinadas qualidades que já temos dentro de nós.

O problema é que algumas pessoas vendem a ideia de que basta cultivar, queimar ou banhar-se com determinadas ervas. E todos os seus problemas de escassez desaparecerão, sem esforço.

O conselho que eu dei para João


Pesquisando sobre o assunto, João encontrou o blog Alquimia Operativa. Navegou pelos artigos e gostou do conteúdo.

João resolveu enviar um email relatando a experiência acima e me perguntou o que fez de errado.

Sugeri que interrompesse aquelas práticas. A mentalidade “fast food da espiritualidade” estava instalada em João. Ele não estava agindo como um empreendedor. Estava depositando toda a sua esperança nas ervas.

Um erro bastante comum é o exagero nas abordagens: alguns são extremistas na abordagem “espiritual” da vida; outros, na abordagem “materialista”. Ou seja, tendem a negligenciar um aspecto ou outro.

A alquimia apregoa o equilíbrio entre espírito e matéria. Ou seja, o alquimista busca a elevação da alma sem, contudo, negligenciar os aspectos materiais da vida. Afinal, ele vive na matéria.

É o que sintetiza a frase: Ora et Labora.

Instrui a João para que fizesse uma meditação logo cedo ao se levantar e, outra, antes de dormir, sempre que possível, tendo como tema, o problema ao qual estava passando.

Indiquei que queimasse incenso de Breu Branco durante suas meditações. Pois, após a troca de emails, percebi que lhe faltava clareza. Ele estava completamente perdido.

O Breu não aparece nos ebooks, artigos e vídeos como sendo “da prosperidade”.

No entanto, essa resina (bastante comum na Amazônia e nas florestas da América Latina) é excelente para quem busca centramento e equilíbrio (mental e espiritual). O breu é tão enérgico que ele entra na composição de quase todos os incensos que ensinamos a fazer.

E era disso que João necessitava.

Seguindo essas orientações, após algumas semanas, João conseguiu enxergar diversas falhas estratégicas em seu negócio. Contratou um consultor para ajudá-lo. Após alguns meses, conseguiu retomar um fluxo saudável de crescimento.

É exatamente isso que podemos chamar de uso inteligente: conciliar os recursos energéticos da natureza com uma atitude objetiva e laboriosa.

Como eu aprendi a operar ESOTERICAMENTE o Incenso?


Levei muitos anos reunindo todas as informações a respeito dos Incensos, esses mestres silenciosos… Aprendi (e continuo aprendendo) sobre a sua história, seu poder, uso mágico e sua fabricação artesanal.

Veja, clicando no botão abaixo, minha história com o incenso e como tudo começou: