Minha história

Minha história com o incenso


Meu primeiro contato, genuinamente esotérico, com o incenso, foi em Ordens Iniciáticas, em meados da década de 90.

Em todas as Ordens em que tive o prazer de ser iniciado, o incenso compõe a ritualística.

Em uma delas, existe a cerimônia da incensação. Do “meio-dia” à “meia-noite” o altar dos perfumes recebe o turíbulo com suas resinas ardentes, limpando e perfumando, de coluna a coluna, todo o Templo.

Toda ritualística em que participamos, trazemos conosco, impregnado, o suave e silencioso aroma do incenso. É como se o ritual ainda permanecesse operativo em nós (e, de certo modo, está).

Mas, o incenso é visto, por muitos, como um simples acessório.

Desde as minhas primeiras impressões passei a observá-lo mais atentamente, buscando um significado mais profundo.

Quanto mais eu aprendo e utilizo o incenso, obtenho a comprovação de que ele é rico em recursos sutis.

Ao longo dos anos, reuni tudo o que pude, em termos de literatura, sobre o incenso.

Testei e desenvolvi diversas fórmulas para as mais variadas aplicações.

Através das práticas alquímicas operativas, aprendi que o incenso pode ser fabricado (em nossa própria casa) em conformidade com os Três Princípios Filosóficos (Mercúrio, Enxofre e Sal).

Recentemente, desenvolvi o Incenso Caibalion, uma verdadeira obra alquímica. Capaz de trazer alívio aos que sofrem de insônia, estresse e necessitam de clareza espiritual.

Todos que fizeram uso do Incenso Caibalion, sem se conhecerem, me relataram experiências semelhantes, todas positivas.

Voltarei a comentar sobre o Incenso Caibalion, mais a frente. Continue acompanhando…

Benefícios do incenso


  • Incensar também é uma forma de oração, de prece, de comunhão com os elevados planos de espiritualidade, como solicitando a presença divina e sua bênção aos nossos trabalhos;
  • Purifica o ar e surte efeitos físicos e psicológicos;
  • O incenso é empregado para afastar as entidades nefastas que afeiçoam os maus odores;
  • Consagrar um incenso antes de utilizá-lo denota as aspirações de um coração puro que se eleva;
  • Quando entendemos a anatomia oculta do incenso, vamos além das receitas prontas e atuamos, verdadeiramente, no plano esotérico.

Dando Poder aos Rituais


Simplesmente acender o incenso e deixá-lo no incensário é uma forma de desperdiçar todo o seu potencial de mensageiro.

É preciso, caso deseje explorar tudo o que ele realmente pode entregar, imbuí-lo de Poder. Veja, clicando no botão abaixo, como fazemos isso: